Pré-Agendar Consulta













Hospitais de Atendimentos

Hospital de Olhos Limongi

CBCO (Centro Brasileiro de Cirurgia de Olhos)

Consulta agendada com sucesso!

Houve um erro ao enviar seu agendamento.

Tratamentos


Retinopatia Diabética


Conheça sobre o assunto

O diabetes, doença em que o organismo não consegue armazenar e usar o açúcar adequadamente, causa danos principalmente nos rins, cérebro, extremidades do corpo humano e nos olhos. Dificuldade de foco, glaucoma, catarata e danos na retina (retinopatia diabética) são as principais complicações provocadas pelo diabetes mal controlado. Uma pessoa com diabetes tem risco 25% maior de ficar cega do que as não portadoras da doença.

O que é Retinopatia Diabética?

A retinopatia diabética se dá pelo rompimento dos vasos sanguíneos da retina (fundo do olho), causando hemorragia e infiltração de gordura em seu interior.

Essa doença se manifesta inicialmente de forma leve ou moderada na maioria dos pacientes, sem qualquer efeito significativo sobre a visão. Porém, o processo pode evoluir rapidamente, levando a uma perda visual parcial ou total.

Sinais e Sintomas

O comprometimento da visão ocorre quando as hemorragias e a gordura extravasadas afetam a mácula, uma área central e importante da retina, indispensável para a visão de leitura, de cores e detalhes. Essa forma da doença é chamada de retinopatia diabética exsudativa ou edema macular.

Outra forma de apresentação da doença é a proliferativa, decorrente de vasos sanguíneos anormais que se formam no interior do gel ocular chamado de vítreo. Estes vasos recém-formados podem causar hemorragia no vítreo e descolamento de retina. Em alguns casos, a forma proliferativa pode vir somada à exsudativa.

Por que prevenir?

Estima-se que a retinopatia diabética seja a principal causa de cegueira irreversível entre adultos, e o principal agravante disso é a falta de prevenção. Os danos da diabetes nos olhos podem ser tratados e estacionados se forem diagnosticados precocemente.

Retinopatia diabética leva á cegueira?

Sim. Dependendo da área afetada do olho, da forma e do tempo de manifestação da doença, principalmente nos casos de diabetes não controlada.

A falta de informação do paciente associada à ausência de sintomas pode levar à cegueira em 40% das pessoas com diabetes, entre 25 e 74 anos de idade.

Existe algum tratamento?

Sim. O tratamento adequado apresenta resultados animadores quando aplicado precocemente. Através da técnica da fotocoagulação a laser, pequenas áreas da retina podem ser cauterizadas, beneficiando a maioria dos pacientes. Outra forma de tratamento é através da vitrectomia, uma delicada micro cirurgia que visa a remoção dos vasos anormais, da hemorragia vítrea e a correção do descolamento de retina.

Novas drogas vêm sendo estudadas e usadas com essas mesmas finalidades. Algumas delas são usadas em forma de cápsulas e outras injetadas pelo oftalmologista no interior do globo ocular, proporcionando resultados satisfatórios.

Quais são as possibilidades de cura?

Ainda não existe a cura definitiva para o diabetes, mas seu controle clínico diminui significativamente o aparecimento da Retinopatia Diabética. Todo paciente diabético deve ser acompanhado periodicamente pelo oftalmologista.

Quais são as possibilidades de cura?

  1. Consulte um oftalmologista no mínimo uma vez a cada 6 meses. Se o seu diabetes estiver controlado e sua visão normal, esta frequência é suficiente. Converse com seu endocrinologista a respeito;
  2. Informe ao seu oftalmologista que você é um paciente diabético. Principalmente se a sua visão está turva, se enxerga mal ou com manchas;
  3. É importante que seus olhos sejam examinados por um especialista, já que o diabetes pode afetar a parte posterior do olho (a retina). Os exames complementares de última geração (periódicos) têm o objetivo de detectar o problema num estágio inicial, em que possa ser efetivamente tratado.

Agende uma consulta para este tratamento

Agendar