Blog

19 dez

Olho seco é mais comum no verão?

Basta chegar a temporada de calor para que o ar-condicionado se torne o melhor aliado de muitas pessoas. Seja no trabalho, em casa ou no carro, ele é muito utilizado em dias mais quentes.

 

Porém, quando esse uso é feito sem moderação, o aparelho pode ser prejudicial à saúde, sobretudo a dos olhos, pois a higiene inadequada do mesmo favorece a proliferação de vírus, bactérias e fungos.

 

É a partir desse uso excessivo que alguns problemas oculares tornam-se visíveis, como a síndrome do olho seco, que tem aumento em sua incidência, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), de 10% para 20% no verão entre pessoas que abusam do ar-condicionado em ambientes fechados e sem ventilação.

 

A síndrome do olho seco trata-se de uma condição onde há mudança da quantidade ou qualidade em uma das três camadas da lágrima: aquosa (intermediária), oleosa (externa) e proteica (interna). Devido à baixa umidade desses ambientes, ocorre a evaporação da camada aquosa. Assim, sem a lubrificação apropriada, os olhos ficam mais propícios à inflamações e infecções.

 

O cenário é ainda mais prejudicial para quem trabalha o dia todo em frente ao computador. Por piscar menos, há uma maior facilidade na evaporação da lágrima. Em ambientes refrigerados, até mesmo quem detém de uma produção normal de lágrima pode sentir incômodo ocular. A exposição diária a essa condição pode ocasionar problemas crônicos.

 

Caso perceba sinais de desconforto ocular procure um especialista ou entre em contato.

Postado Por

Dr. Roberto Limongi

Deixe seu comentário